Concluídos

Projeto AVA_AD

Ambiente Virtual de Aprendizagem em Arquitetura e Design
http://www.avaad.ufsc.br

Objetivos

a) Programação e desenvolvimento dos ambientes gráficos colaborativos 2D e 3D, visando a aprendizagem por meio de trocas de conhecimentos utilizando imagens como referência;
b) Desenvolver e gerenciar o ambiente AVA_AD em termos de programação do sistema de implementação ‘a distância de forma direta no ambiente web;
c) Continuar o desenvolvimento do núcleo virtual de aprendizagem em texturas visando aplicabilidade em áreas estratégicas como a do design de superfícies relativas a indústria cerâmica e têxtil Catarinense. Assim como, a relativa a arquitetura;
d) Continuar o desenvolvimento do núcleo virtual de aprendizagem em Iluminação Natural e Eficiência Energética visando aplicabilidade em áreas estratégicas como a habitacional;
e) Continuidade no desenvolvimento do núcleo virtual de aprendizagem em forma visando aplicabilidade em áreas estratégicas como a do design indústrial e habitacional. Desenvolvimentos de sistemas de colaboração gráfica 3D com a inclusão de ferramentas de realidade virtual.
f) Continuidade do desenvolvimento do núcleo virtual de aprendizagem em Cor visando aplicabilidade em áreas estratégicas como a do design industrial e habitacional.
g) Desenvolvimento do núcleo virtual de aprendizagem em Educação através do Design que visa a interação entre estas duas áreas estratégicas visando o desenvolvimento de cidadãos mais criativos, críticos e participativos;
h) Desenvolvimento do núcleo virtual de aprendizagem em Projeto visando aplicabilidade em áreas estratégicas como a do design industrial e habitacional.
i) Geração de artigos científicos sobre as experiências e pesquisas desenvolvidas;
j) Geração de mestrados e doutorados.


Projeto LetrasLIBRAS

Cursos à distancia de Licenciatura e Bacharelado em Letras LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais)
http://www.libras.ufsc.br

A equipe de Interfaces e Hipermídia tem como objetivo desenvolver e manter as interfaces gráficas do site LetrasLIBRAS, do AVEA e das hipermidias de conteúdo. A equipe, também, edita vídeos para serem colocados no AVEA (vídeos de conteúdo e videoconferências). Disponibiliza as disciplinas organizadas para alunos, professores e tutores. Todo o apoio técnico também é feito pela equipe, assim como a formação dos tutores e professores no uso do ambiente.

 

Projeto Ambiente 3D Colaborativo

Diante das novas relações que se estabelecem no mundo globalizado a Educação a Distância tem sido a modalidade de educação que mais propicia a inclusão à educação dentro do pensamento da escola sem paredes, atuante a qualquer tempo e em qualquer lugar. Os Ambientes Virtuais de Aprendizagem são ferramentas que atendem a Educação a Distância, pois têm as características de facilitar a comunicação, a distribuição e a socialização de informações rapidamente. As áreas de Arquitetura e Design, que impulsionam grande parte da economia do país, no entanto, encontra-se carente de pesquisas na modalidade de Educação a Distância com a utilização de Ambientes Virtuais de Aprendizagem, uma vez que estes ambientes voltaram-se mais para a comunicação escrita. É necessário, portanto, que se busquem soluções tecnológicas envolvendo os sistemas visuais gráficos de que se compõem a Arquitetura e o Design.

O sistema de representação 2D e 3D integrados ao Ambiente Virtual de Aprendizagem em Arquitetura e Design AVA_AD, visa a pesquisa em educação relacionadas às áreas de Arquitetura e Design tendo por base as linhas pedagógicas do construtivismo e sociointeracionismo, bem como, a metodologias da problematização e a colaboração.

A aplicação prática dos sistemas de representação 2D e 3D podem ser auxiliares em uma diversidade de áreas que necessitam trabalhar sobre imagens e muitas vezes em áreas de riscos, como por exemplo na arquitetura, no design, na odontologia e na medicina com a Realidade Virtual para simulações de ambientes cirurgicos, exames e outros casos.

Neste sentido, o projeto em questão pretende disponibilizar às instituições públicas de ensino uma ferramenta de aprendizagem à distância e on-line com apoio à área gráfica e visual. Desta mesma forma, pretende contribuir para o desenvolvimento da cultura de inovação, resultante da interação universidade-empresa, para a geração de conhecimentos científicos e tecnológicos adequados à realidade econômica, empresarial e de mercado de trabalho.

 

Projeto Português, Espanhol e Tradução http://www.ead.ufsc.br

Objetiva desenvolver e manter as interfaces gráficas das hipermídias de conteúdo dos cursos a distância de Licenciatura em Português e Espanhol e o curso de especialização em Tradução.

O curso de Licenciatura em Letras-Espanhol na modalidade a distância UFSC foi criado a partir de uma parceria entre a Universidade Aberta do Brasil(UAB) e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com o objetivo de formar professores de Língua Espanhola e respectivas Literaturas, habilitados a ministrar as disciplinas da área, numa perspectiva curricular interdisciplinar que segue novos preceitos de ensino. Com duração de quatro anos, a primeira turma teve início em fevereiro de 2008 e término em dezembro de 2011. Os pólos em que o curso foi ofertado eram: Treze Tílias e Videira em Santa Catarina, Pato Branco, Foz do Iguaçu e Cidade Gaúcha no Paraná. Foram ofertadas 100 para o pólo de Pato Branco e 50 para os demais, totalizando 300 vagas. A primeira turma do curso contava com uma equipe a distância composta por aprox. 22 professores, vinte e oito tutores UFSC (quatro por disciplina), duas coordenadoras do curso, duas coordenadoras de tutoria e três pessoas na secretaria do curso; e uma equipe presencial de dez tutores e cinco coordenadores, distribuídos entre os cinco pólos, além de secretários (as), técnicos de informática, bibliotecários, etc. Especificamente para a realização de cursos de Licenciatura, a UFSC criou uma estrutura vinculada aos laboratórios dos Centros de Ciências da Educação e de Comunicação e Expressão, entre estes o Hiperlab, os quais eram responsáveis pela produção dos materiais didáticos, formação das equipes, avaliação e execução do curso.

Projeto Formação em Design Instrucional

Aprovado recentemente no edital CT/CNPq/CT-Info nº 011/2007
EXTENSÃO INOVADORA 2007.O objetivo geral deste projeto é apresentar uma proposta de capacitação de recursos humanos em design instrucional com ênfase nas Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) respondendo a demanda de ocupação emergente prospectada na fase 1 deste edital.
Os objetivos específicos compreendem:
• Qualificar e atualizar os profissionais da Educação a Distância para uma utilização contemporânea das TICs, das abordagens pedagógicas e dos processos de produção de hipermídia para a aprendizagem on-line.
• Possibilitar a expansão do quadro de profissionais na Educação a Distância.
Desenvolver a capacidade de instituições parceiras participarem na continuidade deste projeto para a sua sustentabilidade e relacionamento com o mercado de trabalho.

 

Projeto Habitar: Consideração do usuário no projeto da habitação social através de sistema hipermídia (Pereira et al,2002)

Foi coordenado pela Profa. PhD. Alice T.C.Pereira. Esta pesquisa integrou-se em um projeto maior intitulado “Características da Habitação de Interesse Social na região de Florianópolis: Desenvolvimento de Indicadores para Melhoria do Setor” apoiado pelo Programa FINEP/BID/880/OC-BR-”Habitare” (Tecnologia de Habitação). Este projeto foi composto por seis pesquisas independentes, mas passíveis de integração, desenvolvidas nos departamentos de Arquitetura e Urbanismo, Expressão Gráfica e Engenharia Civil da UFSC.
O projeto baseou-se na necessidade de promover moradias para um grande número de pessoas mantendo um custo baixo, mas também atendendo a aspiração destas pessoas em terem habitações diferenciadas e adequadas às suas características sociais e culturais. É comum, em projetos de conjuntos habitacionais populares no país, não serem consideradas as características do lugar de implantação (como relevo, clima, insolação), quanto mais a cultura local de uma determinada região. Sendo assim, os moradores destes conjuntos habitacionais são condicionados a realizar modificações e ampliações em suas moradias a fim de personalizá-las e adaptá-las às suas necessidades existenciais e culturais.

Com vistas a amenizar esta problemática na região de estudo, a pesquisa elaborou um sistema hipermídia de apoio ao projeto de habitação social através da consideração dos usuários da Grande Florianópolis (Pereira,ATC & Pereira, FOR, 2000). O sistema gerado através da presente pesquisa é direcionado aos estudantes do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFSC e aos profissionais da área de projeto da habitação social na região.

 

Projeto Desenho Geométrico Virtual

O software em questão tem como metáfora um laboratório de apoio a desenhistas, engenheiros, arquitetos, entre outros profissionais, no qual são enviados problemas (situações reais) cujas soluções envolvem diretamente conceitos de desenho geométrico e geometria. Assim, almeja-se que o usuário do Desenho Geométrico Virtual sinta-se um investigador envolvido diretamente com os problemas apresentados, buscando no sistema a teoria necessária para a solução dos mesmos.

Para facilitar a navegação no ambiente, o software dispõe de uma barra contendo alguns ícones na parte inferior da tela. Tais ícones, que permitem uma navegação não linear, fizeram parte de um estudo relativo à comunicação visual do sistema e à concepção dos fundos de páginas, onde se utilizou critérios baseados em composição de cores, contraste, equilíbrio, simbologia, entre outros. O detalhamento deste estudo pode ser visto em Braviano et al. (2000).

A metodologia da pesquisa se fundamenta na engenharia didática (ARTIGUE , 1988) que se caracteriza, por um esquema experimental baseado nas realizações didáticas em classe, ou seja: na concepção, realização, observação e análise de seqüências de ensino. Utiliza-se o registro de estudos de casos e a validação é essencialmente interna, fundada no confronto entre as análises a priori e a posteriori. Assim, a engenharia didática atua diretamente nas características do funcionamento metodológico.

A experimentação consistiu de seções realizadas com duplas de alunos voluntários, sendo algumas duplas compostas por estudantes universitários dos cursos de Licenciatura em Matemática e de Comunicação e Expressão Visual e por alunos do ensino fundamental de escolas públicas de Florianópolis.

Para cada dupla e na avaliação individual foi disponibilizado um computador e o CD Rom do Desenho Geométrico Virtual, além de folhas com as atividades propostas, lápis, papel e material de desenho (régua, compasso, esquadros etc.). Acompanhando cada dupla, tínha-se observadores munidos de papel para anotar as ações, reações e expressões dos alunos e um gravador. Ao final da experimentação os alunos responderam a um questionário.

Este projeto é coordenado pelo Dr. Gilson Braviano.

Projeto Geometrando

O Geometrando foi concebido para englobar, de forma integrada, a Geometria Euclidiana (plana e espacial), a Analítica, a Descritiva e as outras geometrias, buscando resgatar a ‘visão do todo’ e romper as fronteiras estabelecidas entre elas nas disciplinas criadas ao longo dos dois últimos séculos. Trata-se, portanto, de uma proposta que visa suprir a falta de integração entre as diferentes disciplinas de Geometria que vêm sendo ministradas tanto no segundo quanto no terceiro grau e integrar a História da época em que as principais descobertas geométricas aconteceram. Para facilitar a interação do usuário foram utilizadas obras de arte onde as diferentes formas geométricas eram utilizadas.
Assim, a proposta do Geometrando é a de tratar os temas ligados à Geometria, estabelecendo e privilegiando uma visão de conjunto onde se busca reduzir a distância entre os conteúdos de Matemática e a sua efetiva implementação prática.

A estratégia pedagógica dominante leva o usuário a construir a sua base de conhecimento, a partir de figuras espaciais, escolhidas dentre àquelas referentes a momentos históricos diferentes, apresentados nas manifestações artísticas, para chegar aos elementos básicos (como circunferência, pontos e retas).

É proporcionado, ao usuário, pensar e discutir interdisciplinarmente a Geometria, migrando, quando possível, de uma para outra geometria a seu gosto e quando assim entender. Ressalte-se que, isto não implica em uma liberdade absoluta, causadora de monotonia ou dispersão, porque a proposta didática está na adoção de uma liberdade orientada para seqüências pré-elaboradas. Essa liberdade orientada não se constitui no diretivismo próprio dos softwares de ambientes tutoriais, pelo contrário, está constituída de situações- problema, desafios, manuseio de objetos materiais e situações que conduzem o aluno à formulação de suas conclusões e seus conceitos. A cada desafio vencido pelo usuário, esse poderá sintetizar o conhecimento adquirido e eventualmente avançar a partir de novos desafios que ele próprio visualize.

Esta pesquisa teve como premissa que o sujeito elabora seus conhecimentos na realização de tarefas, e que a hipermídia está colocada como uma modalidade concreta para a realização da tarefa de aprendizagem.

O projeto Geometrando gerou vinte artigos publicados em anais de congressos, um artigo publicado em revista da área e doze dissertações (concluídas). Além disso, gerou duas dissertações e quatro teses de doutorado. No que se refere à implementação, 1400 telas relativas ao conteúdo de Geometria foram finalizadas, o que não representa muito, diante da imensidão dos conhecimentos que esse campo encerra.

 

Projeto Visual GD

Neste trabalho procurou-se estabelecer uma estreita relação da Geometria Descritiva com a atividade de projeto, visando a modernização e a adequação do processo de ensino-aprendizagem, às novas necessidades do mercado de trabalho, isto é, formar profissionais críticos, criativos, flexíveis, autônomos e instrumentalizados, necessários à sociedade contemporânea.

Este “software” procurou determinar estratégias que visam desenvolver a capacidade do aluno de “observar o espaço e ver o resultado da operação projetar / cortar” e ao “observar uma épura “ver” a forma espacial que a originou”. Acreditamos que se o educando tiver compreendido a operação projetar, isto é, desenvolvidos esquemas de como “ver” um objeto sob diferentes pontos de vista, e executado a operação cortar, terá construído, em seu cérebro, os esquemas necessários a uma perfeita representação do espaço e estará apto a resolver os problemas mais complexos que surgem na atividade projetual.

O ambiente visa além da apresentação dos conteúdos de Geometria Descritiva, um monitoramento do comportamento do aluno para mensurar seu grau de comprometimento no processo de aprendizagem e permitir que o professor acompanhe seus estudos (Ferreira, 2003).

Foi concebido por Ulbricht (1992, 1997) e desenvolvido por Gonçalves (1999) e Bulhões(2004), é objeto de doutoramento de Gonçalves (2002).

 

Projeto Aprendendo Hipermídia

Quando a primeira turma no curso de Comunicação e Expressão Visual cursou a disciplina de Hipermídia, observou-se a ausência de um material bibliográfico sobre o assunto que estivesse em língua portuguesa e que fosse direcionado aos estudantes que começam a se familiarizar com os conceitos e vantagens da hipermídia. Este fato deu origem a um projeto que propunha a criação de CD-ROM que servisse como exemplo de aplicação da hipermídia, e que por sua vez tivesse como tema a própria hipermídia. Assim foi inicialmente desenvolvido um CD-ROM denominado Conhecendo Hipermídia.

No ano de 2003, este projeto, foi retomado pelos alunos da disciplina de Hipermídia do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção, (PPGEP/UFSC), que geraram um CD-ROM denominado “Aprendendo Hipermídia”. O ambiente teve como público-alvo usuários com noções básicas de informática porém novatos no domínio de hipermídia.

O CD-ROM “Aprendendo Hipermídia” tem alguns pontos em comum com a versão modificada do CD-ROM “Conhecendo Hipermídia”. Dentre as coincidências podemos listar: a representação dos nós de informação por esferas coloridas e interligadas por caminhos de informação, a navegação não linear feita por mapa de navegação, a navegação linear feita com auxílio de barra fixa de botões, assuntos organizados em “famílias” de informação, e estas identificadas na interface pelas cores respectivas nas telas e nas esferas . Entretanto a diferença mais marcante entre as duas versões é com relação ao conteúdo, que é muito mais rico e complexo na versão do PPGEP (Mercy, 2004).

Apesar de “rica” em conteúdo a última versão do aplicativo era muito “pobre” em mídias, logo não era um bom exemplo para ser utilizado. Procurando minimizar este problema detectado, Mercy (2004) fez um estudo detalhado das necessidades do aplicativo e desenvolveu as mídias que deveriam ser implementadas.

 

Projeto Diferente Todo mundo é!

Esta proposta atua em conjunto com a comunidade, pois procura atender a uma demanda da sociedade, e buscando junto a esta comunidade (médicos, psicólogos, professores, etc) assessoria para responder dúvidas levantadas nas entrevistas realizadas com os familiares de portadores de Síndrome de Down. Este projeto tem como objetivo primeiro desenvolver um produto digital interativo sobre a Síndrome de Down, que facilite a inserção do portador na sociedade, de forma natural e sem discriminações.

Este projeto gerou: um protótipo Diferente todo mundo é! (ISBN 85-903636-1-9); uma dissertação de mestrado, dois artigos publicados em anais de eventos (Ulbricht e Batista, 2003; Ulbricht, Pereira e Ferreira, 2003). Falta ainda fazer a testagem do aplicativo, as correções que se apresentarem e a distribuição.

Disseminação de repositórios de objetos de aprendizagem e conteúdos digitais para professores de escolas públicas | Coordenação Berenice Gonçalves

O presente projeto se formaliza, buscando instrumentalizar professores do ensino fundamental, a buscar e adotar critérios de seleção de objetos de aprendizagem e conteúdos digitais. Assim, este projeto objetiva organizar ações para disseminar bancos de Objetos de Aprendizagem, repositórios de conteúdos digitais, bem como, divulgar critérios para avaliar e selecionar tais objetos. Ressalta-se que muitos conteúdos tem sido desenvolvidos em diferentes Universidades e Instituições brasileiras. Existem repositórios credenciados no âmbito Nacional e Internacional. Falta, entretanto, divulgar esses repositórios aos docentes e orientar a seleção desses objetos.

Biblioteca digital para os fundamentos da Representação Gráfica Espacial

Esta pesquisa se insere no quadro das pesquisas aplicadas que aborda o problema de forma qualitativa. A estratégia de ação para alcançar seu desenvolvimento, foram subdividas nas etapas a saber: definição dos conteúdos de Representação Gráfica Espacial constitutivos do ambiente; construção do mapa conceitual dos conteúdos básicos de Representação Gráfica Espacial; construção dos Objetos de Aprendizagem. Como resultado dessa pesquisa pretende-se a criação de uma biblioteca digital de objetos de aprendizagem de Representação Gráfica Espacial, contribuindo assim para o enriquecimento do proceso ensino aprendizagem nessa área.

Criação de Selo de Acessibilidade Arquitetônica nas escolas do município de Florianópolis

O CMDPD – Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência, cuja missão é “atuar de forma efetiva e responsável, no município de Florianópolis, promovendo a inclusão e garantindo os direitos das pessoas com deficiência” é uma entidade que, mesmo sendo vinculada à administração pública municipal, não possui recursos próprios. Atua na causa dos direitos das pessoas com deficiência, buscando a promoção da cidadania e uma maior qualidade de vida das pessoas com deficiência. Uma de suas atividades está relacionada à acessibilidade em ambientes educacionais. De acordo com representantes da diretoria do CMDPD, as escolas do município de Florianópolis ainda são precárias no que diz respeito à acessibilidade, tanto no que se refere aos aspectos físicos (acesso aos espaços da escola) quanto a outros aspectos (acessibilidade digital, por exemplo).